"/> REFORMA DO ESTATUTO: COMISSÃO ANUNCIADA

REFORMA DO ESTATUTO: COMISSÃO ANUNCIADA

Presidente do Conselho Deliberativo anuncia Comissão de Reforma Estatutária

24.12.2016

Em sintonia com o que fora prometido em época de campanha eleitoral, o Presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Gordilho Filho, inicia o processo de Reforma do Estatuto Social do Esporte Clube Vitória com a convocação dos conselheiros que irão compor a comissão designada para a tarefa (confira: Comissão de Reforma Estatutária).

Com menos de 10 dias de posse, Paulo Catharino anuncia a Comissão de Reforma do Estatuto, uma das principais promessas de campanha, pela sua importância na implantação do modelo de gestão profissional, transparente e participativo, defendido desde o início.

Só com a Reforma do Estatuto, outras propostas podem ser executadas, como a própria Eleição Direta, sem intermediários entre candidatos e sócios-torcedores (de acordo com o Estatuto vigente, o sócio só vota com mais de 18 meses de associado, e só escolhe o Conselho Deliberativo); a instituição de um Conselho Deliberativo Proporcional, com a quantidade de representantes de cada chapa segundo o percentual atingido na eleição (atualmente, o Conselho é composto apenas pelos membros da chapa eleita); e a Profissionalização da Gestão e Direção, para evitar “inconveniências” na coordenação das frentes de trabalho, e favorecimentos que não sejam de interesse do clube.

Um modelo de gestão refém de eleições indiretas, cujo Presidente e sua equipe são definidos por um Conselho Deliberativo 100% situação, favorece a perpetuação do poder, o que nada tem a ver com a democracia que o clube, agora, defende. Desta maneira, não há a chance de haver uma oposição consistente, quando a mesma se fizer necessária pelo bem do Vitória, muito menos de haver um representante que tenha reais chances de ser eleito. O próprio Presidente Ivã de Almeida, há anos, se posicionando como oposição a gestões anteriores, só conseguiu força para se eleger quando o Estatuto admitiu o voto do torcedor, ao menos, para a eleição do Conselho Deliberativo, o que só aconteceu neste último pleito.

A Profissionalização da Gestão e Direção também constarão da Reforma que irá a votação no Conselho Deliberativo para ser implementada, em, aproximadamente, 90 dias. Até lá, vigoram as circunstâncias atuais de cargos estatutários não remunerados, que foram preenchidos por técnicos dispostos a investirem durante este período, para posterior avaliação de nova proposta, levando em conta o período de dedicação exclusiva.

Que este processo de profissionalização do Vitória se estenda ao futebol, em geral, e a todos os outros negócios ligados direta ou indiretamente ao assunto, sem levar questões para o lado pessoal, se utilizando de influência e/ou de uma mídia, infelizmente, ainda pautada segundo linha editorial de campanha, de interesses puramente mercadológicos ou partidários particulares, visando desqualificar ou desmoralizar o que está sendo realizado em equipe com muita seriedade, transparência e, sim, muito profissionalismo.

#SRN