REFORÇOS “CASCUDOS”

Fabrício e Felipe Garcia encorpam time rubro-negro para as competições na temporada

13.03.2019

Nas recentes entrevistas, o técnico Marcelo Chamusca tem repetido que o Vitória precisa de jogadores “cascudos”. No dicionário futebolístico, “cascudo” significa experiente, com rodagem, por exemplo.

Para atender ao treinador, a diretoria saiu à caça dos “cascudos” e de uma tacada só trouxe três. Repatriou o zagueiro Victor Ramos, cuja paixão pelo rubro-negro é declarada, e contratou ainda Fabrício, lateral-esquerdo, que também atua como meia, e o meia-atacante Filipe Garcia.

Fabrício e Filipe Garcia, sem dúvida, são boas apostas para ajudar o Vitória na temporada a conquistar seus objetivos, o principal deles o retorno à divisão de elite do futebol nacional.

Com passagem por alguns dos principais clubes brasileiros, o paulista Fabrício, de 32 anos (nasceu em 11 de janeiro de 1987), 1m85 de altura, chega ao clube para ser um “coringa” à disposição de Chamusca. Tanto pode entrar na lateral como ser o meia de toque de bola a contribuir na construção das jogadas.

O último clube de Fabrício foi o Vasco da Gama e já passou pelo Cruzeiro, Palmeiras, Inter RS e Atlético PR, entre tantos outros.  O jogador está totalmente adaptado ao ambiente rubro-negro.

O gaúcho Felipe Garcia, de 28 anos (nasceu em novembro de 1990), 1m85, assim como Victor Ramos, ajudou ao Goiás retornar à primeira divisão em 2018. O atacante, cujo direito federativo é do japonês Nagoya Grampus, também já vinha treinando com o grupo e aguardava somente a regularização. Nome publicado no BID-E (Boletim Informativo Diário-Eletrônico) da CBF, ele fica à disposição de Chamusca.