NOITE DE GALA

Vitória encerra comemorações dos 120 anos com a entrega da Comenda Artêmio Valente

15.05.2019

Com um jantar festivo no Iate Clube da Bahia, dois ilustres rubro-negros, o ex-presidente Carlos Spínola Palma (in memoriam) e o ex-vice-presidente Carlos Tertuliano de Góes, Joca Góes, foram agraciados com a Comenda Artêmio Valente, a mais alta condecoração do clube. O evento, que encerrou as comemorações dos 120 anos de fundação do Esporte Clube Vitória, reuniu centenas de dirigentes, conselheiros e torcedores na terça-feira passada.

Os presidentes do Conselho Diretor, Paulo Carneiro, e do Conselho Deliberativo, Fábio Rios Mota, e os vice-presidente do Conselho Deliberativo, Antônio Carlos Menezes Rodrigues, e do Fiscal, César Marianette Braga, mais os integrantes do Conselho de Administração, foram os anfitriões.

A festa, muito bonita, teve um momento especial de emoção quando o cantor e apaixonado rubro-negro, Tatau, cantou o hino do clube.

OS AGRACIADOS

CARLOS TERTULIANO DE GÓES – JOCA GÓES

Baiano de Salvador, 74 anos, casado com dona Magali, Carlos Tertuliano de Góes, ou simplesmente Joca Góes, como gosta e pede para ser chamado, recebeu a Comenda das mãos de Alexi Portela Júnior, filho do saudoso Alexi Portela, que em 1975 ao assumir a presidência do Vitória, convidou Joca para ser o vice-presidente administrativo e financeiro.

Alexi e Joca comandaram o clube no período de 75/76, e além do time inesquecível que montaram, com ídolos como Mário Sérgio, Osny, Jorge Valença, os argentinos Andrada e Fischer, entre outros, promoveram o jogo entre o combinado Vitória/Fluminense (RJ) contra a seleção de estrangeiros, na Fonte Nova.

CARLOS SPÍNOLA PALMA

Chegou para trabalhar como estagiário no Departamento Médico, se formou e depois, por duas gestões, 1986/87 e 1973/74, assumiu a presidência. Por amor ao Vitória, afirmou que enquanto vida tivesse, o clube não ficaria sem um presidente.

Natural de Salvador, Carlos Spínola Palma faleceu no dia 21 de janeiro de 2001, aos 62 anos, deixando uma família rubro-negra: a mulher Mariana Brandão, que recebeu a Comenda ao lado das filhas Andréa, Ticiana e Fabiana, e dois netos, Felipe e Joaquim, que guardam no coração o orgulho de saber que o médico apaixonado em muito contribuiu para tornar o Vitória um grande clube.